Fernando de Noronha – É proibida a entrada de descartáveis: copos, canudos, sacolas plásticas, talheres e garrafas

O administrador da ilha, Guilherme Rocha, assinou um decreto nesta quinta-feira (13), indicando os produtos que não poderão entrar em Noronha.

O administrador de Fernando de Noronha, Guilherme Rocha, assinou nesta quinta-feira (13) o decreto distrital que proíbe a entrada de descartáveis na ilha, incluindo copos, canudos, sacolas plásticas, talheres e garrafas com menos de 500 ml de conteúdo.

A assinatura foi realizada no Palácio São Miguel e contou com a presença do secretário de Meio Ambiente, Carlos Cavalcanti, representantes do Instituto Chico Mendes da Biodiversidade (ICMBio), Conselho Distrital, empresários e moradores.

No ano de 1996, o Governo de Pernambuco emitiu um decreto similar, que acabou não sendo seguido. Agora, o governo local está determinando um prazo máximo de 120 dias para que os empreendimentos e a comunidade coloquem em prática a proibição. Quem descumprir a norma pode pagar uma multa que pode chegar a 20 salários mínimos.

“Na prática teremos os agentes da Vigilância Sanitária, que vão fiscalizar os empreendimentos. Noronha estava precisando de uma ação como essa, o mundo precisa disso e a ilha tem um apelo da filosofia ambiental muito maior que qualquer outro lugar”, afirmou o administrador Guilherme Rocha.

Segundo dados da Administração do Distrito, Fernando de Noronha produz diariamente cerca de 14 toneladas de lixo. Desse total, 20, 84% são recicláveis, 12,50% são produtos orgânicos e 67% são rejeitos. Os produtos que não podem ser aproveitados na ilha são enviados de volta para o continente em embarcações.

A Secretaria de Meio Ambiente deve ajudar na fiscalização. “Nós vamos apoiar e estimular a mudança de comportamento, participando de oficinas e seminários e conscientizando. São 120 dias de conscientização para que, na prática, comece a funcionar o decreto”, informou o secretário de Meio Ambiente, Carlos Cavalcanti.

O ICMBio também está disposto a colaborar. “O ICMBio se responsabiliza em todas as suas estruturas a não mais utilizar esses produtos, um pacto que estamos assumindo perante a comunidade e o Estado de Pernambuco. Nós já trabalhamos na Escola Arquipélago para que a comunidade, através dos alunos, não utilize descartáveis em Fernando de Noronha”, afirmou o oceanógrafo do ICMBio, José Martins.

As novas normas foram aprovadas pelos moradores. “É muito importante, Fernando de Noronha tem produzido muitos resíduos. A assinatura desse decreto foi uma escolha inteligente”, falou o estudante João Aliso, do grupo Coletivo Jovem Mar Noronha.

“Esse decreto é de grande importância, a quantidade de resíduos só vem aumentando. Os estudantes fariam um pedido ao administrador para proibir os descartáveis e recebemos a assinatura do decreto”, comemorou a educadora ambiental da Escola Arquipélago, Fabiane Vilela.

“Nós precisamos fazer uma educação ambiental com os turistas e os moradores da ilha. O decreto traz a punição e agora temos que fazer a educação, o mais importante ”, disse o presidente da Assembleia Popular Noronhense, Antônio Carlos Nascimento.

Esta entrada foi publicada em Padrão e marcada com a tag , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *