Turismo rural oferece experiência ricas e diversificadas em Minas Gerais – Gastronomia mineira é um dos pontos fortes

imagem-gastronomia-mineira-turismo-ruralBelezas naturais, culinária diversificada, opções de hospedagem em fazendas centenárias, muito verde e tranquilidade. Esses são alguns dos atrativos que impulsionam o turismo rural em Minas Gerais, sobretudo em períodos de férias ou feriados prolongados. A modalidade, que começou a ser explorada no Estado nos anos 1980 como uma atividade econômica, busca permitir um contato mais direto e genuíno com a natureza, a agricultura e as tradições locais, através da hospitalidade em ambiente rural e familiar.

Esse deslocamento para áreas rurais em busca de lazer passou a ser encarado com profissionalismo quando algumas propriedades em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul, devido às dificuldades econômicas do setor agropecuário, resolveram diversificar suas atividades e passaram a receber turistas. Para Minas Gerais, um Estado com vastas áreas rurais com grande potencial turístico, a ideia se mostrou uma oportunidade a ser levada a sério.

De acordo com a Secretaria do Turismo de Minas Gerais (Setur), o turismo rural pode ser explicado, principalmente, por duas razões: a necessidade que o produtor rural tem de aumentar sua fonte de renda e de agregar valor aos seus produtos e a vontade dos moradores urbanos de encontrar e reencontrar raízes, de conviver com a natureza, com os modos de vida, tradições, costumes e com as formas de produção das populações do interior.

Dados divulgados recentemente pela Setur revelam que, em 2011, os visitantes que vieram a Minas Gerais com esta motivação tiveram gasto individual aproximado de R$ 516,00, o que coloca o turismo rural como a segunda modalidade que mais registra investimentos do turista, atrás somente do turismo de negócios, no Estado.

“O turismo rural é uma boa opção para as férias que atende muito ao perfil familiar, ao conjugar lazer para pais e filhos por meio de experiências e vivências, o que é peculiar nas fazendas. Os turistas têm buscado essa originalidade, este contato com a terra. Trata-se de um nicho do turismo que Minas sabe oferecer bem, em função da ruralidade que também caracteriza o Estado. É um diferencial do sol e mar para as férias”, destaca a secretária-adjunta de Estado de Turismo, Silvana Nascimento.

Para quem opta por esta modalidade, não faltam opções em Minas. Um guia sobre o setor organizado pela Associação Mineira de Empresas de Turismo Rural (Ametur) mostra 65 destinos, dentre fazendas e pousadas tradicionais, além de manifestações culturais e calendário de eventos, que também atraem os visitantes.

A presidente da Ametur, Suzana Souza Lima Matos de Paiva, destaca que, embora nos últimos anos muitos brasileiros tenham preferido viajar para o exterior em virtude da desvalorização do dólar, o turismo rural permanece ativo e relevante em Minas Gerais.

Segundo ela, o Estado possui mais de 400 fazendas que prestam este tipo de serviço e um incrível potencial a ser explorado. “Minas Gerais tem a vantagem de oferecer coisas maravilhosas, como as belezas naturais e a rica e diversificada culinária. Além disso, o mineiro sabe receber e tem carinho com o viajante, o que é muito importante”, afirma.

Casa cheia nas férias

Partilhando destas possibilidades, hospedagens como a Estalagem Fazenda Lazer, a 134 quilômetros de Belo Horizonte, se beneficiam especialmente dos períodos de férias e feriados. Localizada às margens da Estrada Real, em Carandaí, na região do Campo das Vertentes, a fazenda está localizada numa região onde a flora e a fauna da Mata Atlântica está preservada.

“Pelo fato de estarmos localizados entre dois grandes centros urbanos — Rio de Janeiro e Belo Horizonte –, em períodos de férias e feriados prolongados, a taxa de ocupação de nossas instalações normalmente chega a 100%”, comemora o gerente do estabelecimento, Flávio Mendes.

Desde a primeira quinzena de dezembro, os 37 chalés da Estalagem Fazenda Lazer estão reservados, a maioria por casais que preferiram passar as férias de janeiro no interior do Estado na companhia dos filhos.

Tiago Mendes revela ainda que a maioria dos turistas que desfrutam dos prazeres proporcionados pelo turismo rural em Minas Gerais são provenientes de São Paulo e do Rio de Janeiro. Já em períodos de baixa temporada e feriados prolongados, a maioria dos clientes são oriundos do próprio Estado.

Crescimento do turismo no Estado

Segundo levantamento da Setur, o crescimento do turismo mineiro supera a média nacional. Em 2011 o número de hotéis e pousadas que em 2010 chegava a 55,8 mil estabelecimentos teve aumento de 5,8%. O índice superou a média nacional que foi de 5,1%.

Por outro lado, mineiros viajando pelo Estado representam 61% do fluxo total dos visitantes. Na sequência destacam-se visitantes de São Paulo (16,5%) e Rio de Janeiro (7,7%). Bahia e Espírito Santo estão empatados com 1,7% do fluxo de turistas. O levantamento também aponta que 88% dos entrevistados afirmaram que a viagem em Minas Gerais superou ou atendeu às expectativas, enquanto que esse percentual era de 84,4% em 2010.

Para ampliar o potencial mineiro no turismo rural, a Ametur planeja, para 2013, investir em divulgação e realizar cursos de capacitação de profissionais para atuar no segmento, além de definir ações em busca da melhoria da infraestrutura de acesso aos empreendimentos ligados ao setor, o que estimulará e facilitará ainda mais o deslocamento dos viajantes.

“Os turistas estão cada vez mais exigentes e os empreendimentos ligados ao turismo rural precisam estar preparados para acompanhar as evoluções do setor”, observa Suzana Paiva.

Esta entrada foi publicada em Padrão e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *