Dia do Guia de Turismo – Profissional responsável por acompanhar, orientar e transmitir informações de uma atração turística

O dia 10 de maio é o Dia do Guia de Turismo, profissional responsável por acompanhar, orientar e transmitir informações de uma atração turística. Para entender melhor e apresentar aos leitores o que faz este trabalhador, nós da Cataratas do Iguaçu S.A. acompanhamos, durante uma manhã, um pouco da jornada de trabalho do guia Victor Duarte, no Parque Nacional do Iguaçu.

Argentino de nascimento e gremista de coração, ele é natural de San Antonio, fronteira com a cidade brasileira de Santo Antônio, Sudoeste do Paraná. Logo no começo da entrevista, Duarte diz com convicção: “Eu escolhi ser guia de turismo. Já trabalhei em diversas áreas do turismo, mas eu me encontrei como guia. Gosto do que eu faço e tenho paixão pelo meu trabalho”.

Para ele, desde que começou sua na carreira profissional, aos 17 anos, ser guia é encarar a cada dia uma nova realidade. “É um serviço muito dinâmico, você conhece pessoas diferentes, é como se você viajasse todos os dias para algum lugar do mundo. É uma troca de informações que nos enriquece. Sinto privilegiado em poder fazer isso diariamente. Venho para o Parque Nacional do Iguaçu de 23 a 24 vezes por mês”, revelou.

Segundo Duarte, o maior desafio dos guias atualmente é a busca do reconhecimento. “Alguns acreditam que o guia é um profissional que não tinha outra coisa pra fazer e virou guia. O guia de turismo é a cara de um destino. Entristece saber que algumas empresas contratam guia porque é obrigatório. O guia é um portador de ideologia de um local. Infelizmente, a Lei do Guia ainda é encarada como uma mera formalidade; ela não é respeitada por todos.”

Já a visitante Martha Kogan conheceu as Cataratas do Iguaçu na terça-feira (8) e aprovou o serviço do profissional. Para a professora universitária em Buenos Aires, o trabalho do guia de turismo é indispensável. “É um complemento e enriquece a visita. Ele traz, em sua formação, informação e curiosidades importantes, que passam despercebidos por muitas pessoas. E, sem dúvida, este profissional colabora para a divulgação correta das informações sobre o local”, refletiu.

Legislação – O profissional deve estar cadastrado na Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), nos termos da Lei nº 8.623, de 28 de janeiro de 1993, para exercer as atividades de acompanhamento, orientação e transmissão de informações a pessoas ou grupos, em visitas, excursões urbanas, municipais, estaduais, interestaduais, internacionais ou especializadas.

Esta entrada foi publicada em Padrão e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *